• Cadastre-se
  • Equipe
  • Contato Brasil, 16 de junho de 2019 12:42:40
Genésio Jr.
  • 05/05/2019 13h33

    Momento de ter juízo!

    Se o maior problema do Governo Temer foram as acusações de corrupção que lhe tiraram energia, depois veio a crise dos caminhoneiros, esses iniciais meses do Governo Bolsonaro estão mais creditados à forma como a administração se apresenta

    Se Bolsonaro tiver um pouco mais de juízo ajudaria!( Foto: Arquivo politica real)

    (Brasília-DF)  Estamos iniciando mais um mês deste ano de 2019.  Já foram quatro meses de Governo Bolsonaro.

    O quinto mês do ano, que se iniciou com o Dia do Trabalho, não tem se principado bem para esse final de trimestre que firmará o final do semestre. Existe uma sensação generalizada que algo mais poderia ser feito.

    É importante se dizer que depois da queda abissal de nossa economia no final de 2014, onde já se via a economia paralisada, e o buraco sem fim que vimos até 2017, quando paramos de mergulhar no precipício na queda da atividade econômica, já se previa que só em 2020/2021 voltaríamos ao que se via naquele 2013/14. Na verdade, desde o final de 2017 se esperava algo melhor, já ao final de 2018. A crise dos caminhoneiros em maio daquele ano foi crucial para os números medíocres que vivemos.

    Durante a semana teve a confirmação de que iniciaríamos essa temporada com 13 milhões de desempregados e a indústria perdendo 2,2% nos primeiros 3 meses do ano. Já está claro que teremos uma reforma da Previdência, mas não sabemos o tamanho, que só ficará claro no início do segundo semestre. A Comissão Especial da Câmara vai apresentar algo mais claro, mas não podemos esquecer que o Senado Federal também irá opinar.

    Se o maior problema do Governo Temer foram as acusações de corrupção que lhe tiraram energia, depois veio a crise dos caminhoneiros, esses iniciais meses do Governo Bolsonaro estão mais creditados à forma como a administração se apresenta. Muita energia perdida, muitos contratempos desnecessários, muita gente falando o que não deve, muitos grupos governamentais em constante stress. 

    No entanto, não se finda só nisso. O governo mostrou competência em não inventar em algumas áreas, como tem sido na questão das concessões, nos programas sociais como o bolsa-família, faz algo razoável no pandemônio da saúde e deixa a questão do agronegócio seguindo como deveria.  O Governo não fez nada numa área fundamental, como Educação, se equivocou na formatação governamental, tanto entre os ministros da Casa, como se chama o Palácio do Planalto, como no formação geral do Governo.

    Se o leitor, ou leitora, estiver atento o Governo vem errando para setores que mais precisam do Estado. As pesquisas de opinião vem mostrando que o governo e a popularidade do presidente refluiram nessas regiões do país, por outro lado perde menos nas regiões brasileiras que menos precisam do Estado. Os brasileiros que têm um pouco mais são tolerantes com os erros iniciais, pois sabem que o problema vem lá de trás. Os brasileiros que mais precisam do Estado não tem essa tolerância toda.

    O Governo Bolsonaro tem seus problemas, mas não resta dúvida que a crise de todo o setor público nacional, que foi dizimado pela imprevisibilidade(?!) da redução da atividade econômica impactante, que atingiu toda a arrecadação de tributos – complica mais ainda sua vida.

    O Presidente Jair Bolsonaro nunca atuou no Executivo. Sua inexperiência nesse momento difícil, por qual o País vive, atrapalha mais ainda. O Brasil já teve presidentes sem muita experiência administrativa, como Lula e outros lá atrás como o General Médici, mas eles tiveram a seu favor o “boom” da commodities ou o milagre brasileiro do dinheiro a fundo perdido, respectivamente.

    O Planalto sabe que esse início de maio será fundamental para enfrentar o final do semestre. Quando o Governo iniciava destacava por aqui que a cadeira presidencial seria uma boa conselheira para o nosso novo presidente. Agora, passados esses meses, podemos dizer que a dor, ensina a gemer!

    Por Genésio Araújo Jr, jornalista

    Email: [email protected]  

     


Vídeos
publicidade